• Letra Espírita

A homossexualidade na visão do Espiritismo



Segundo esclarecem os Espíritos Superiores, o espírito não tem sexo. Pelo menos não como entendemos (é o que respondem no item 200 de O Livro dos Espíritos) ao afirmar “(...) os sexos dependem do organismo. Entre eles há amor e simpatia, baseados na semelhança de sentimentos”. E afirma Allan Kardec em outro ponto: "Os Espíritos se encarnam homens ou mulheres porque eles não têm sexos. Como devem progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, oferece-lhes provas e deveres especiais, e a ocasião de adquirir experiência. Aquele que fosse sempre homem não saberia senão o que sabem os homens."

Então para os espiritistas (como eu prefiro) ou espíritas como desejem ser chamados, o "pré-conceito" ou ideias enraizadas devem ser analisados com muito estudo e livre de qualquer conceito material dominante!

Não adianta ir em um Centro Espírita, ver palestras, ler romances espíritas ou até curtir páginas espíritas, é necessário estudar, cooperar e viver sem julgamentos, é estar em sintonia com o amor fraternal ao próximo.

Na visão do Espiritismo: Para que a evolução e o desenvolvimento do espírito ocorram em plenitude, é necessário que o Espírito tenha experiências reencarnando ora no sexo feminino, ora no sexo masculino. As experiências vividas durante longo tempo em um corpo masculino ou feminino podem explicar (mas não se limitam apenas a esse entendimento) o que alguns pesquisadores têm encontrado: homens com lado feminino e mulheres com lado masculino mais aflorado. Quando citamos "lados aflorados" dizemos no sentido da sensibilidade.

O Espírito no corpo feminino é preparado para a missão mais sublime que é a maternidade, a conformação do corpo físico é o reflexo da necessidade do espírito para conseguir sentir e perceber a grandeza desta missão (ser mãe).

O mesmo Espírito que um dia foi um pai de família retorna em outra existência com a missão de ser mãe, e as experiências ficam registradas no psiquismo.

Quer dizer então que o homossexual é aquele que durante muitas encarnações optou por um gênero e ao reencarnar em outro ele ainda traz as tendências das experiências vividas no outro sexo? Não é só essa a definição, aliás a definição está "em construção". Nenhum estudo é conclusivo quanto a homossexualidade, mas o Espiritismo não trata quem quer que seja com preconceito! Pelo contrário: existe ainda preconceito com relação ao Espiritismo e cabe aos profitentes esclarecer à medida do possível e com bom senso, pois vivemos em sociedade com o objetivo de evoluir.

Allan Kardec comenta no item 768 de O Livro dos Espíritos: “O homem deve progredir; sozinho, ele não o pode porque não tem todas as faculdades, é-lhe preciso o contato dos outros homens. No isolamento, ele se embrutece e se debilita”.

Em outras palavras: não somos donos da verdade. Temos a oportunidade pelo estudo e conhecimento doutrinário de obtermos respostas a muitos questionamentos, precisamos fazer as perguntas certas. Tratemos todo assunto com o respeito que merece. Nem mais, nem menos. E aos espiritistas cabe ainda outra reflexão: Lidemos com as diferenças de opinião com serenidade, sabedoria e o coração voltado para o Mais Alto. Preparemo-nos ainda mais para compreendermos, aprimorando o dom de ouvir, e permitamos que haja espontaneidade da parte daqueles que nos procuram, seja no atendimento fraterno ou nos corredores das casas espíritas.

Que a fraternidade nos embale! Que sejamos exemplos de uma nova era de pessoas mais evoluídas! Lembre-se que você pode ser um espelho, ao qual seu bom exemplo podem mudar para melhor a vida de outras pessoas.

#Homossexualidade

Contatos:

22  2724-0945

blog@letraespirita.com.br

© 2018 por Equipe Letra Espíírita