• Letra Espírita

Afinal, quem é verdadeiramente Maria de Nazaré?

Atualizado: 8 de Jul de 2019



Rafaela Paes


Maria com certeza é figura de grande valor na era cristã, tanto por ter recebido a missão de dar à luz a Jesus, quanto pela forma com que ela conduziu seu Filho, sempre com amor, fé e sabedoria, até mesmo nos derradeiros momentos do calvário. A maioria dos que se declaram cristãos a veem como uma santidade, outros já a enxergam apenas como aquela que trouxe ao mundo Jesus, mas é certo que em todas as vertentes de visões e crenças há um grande respeito por sua figura e personalidade.

Segundo o Protoevangelho de Tiago, apócrifo também conhecido como Livro de Tiago ou Natividade de Maria (tem datas e autoria desconhecidas, embora haja a denominação de Tiago e, de acordo com estudiosos, é muito antigo, antecedendo os Evangelhos Canônicos e até suas bases), Maria era filha de Joaquim, um judeu abastado que residia na região de Nazaré e sempre oferecia doações aos pobres e oferendas aos templos. Conta o texto que um sacerdote de nome Rubem proibiu Joaquim de fazer doações, pois ele não tinha filhos e isso contrariava as leis judaicas, momento em que ele, triste, optou por subir uma montanha deserta e jejuar por quarenta dias e quarenta noites, prometendo a si mesmo que ficaria sem comer e sem beber, e não voltaria ao seu lar, enquanto o Senhor não o viesse visitar. Sua esposa Ana ficou em casa e certa feita, recebeu a visita de dois mensageiros de Deus que disseram que o Senhor havia ouvido suas preces e que ela conceberia fruto que seria conhecido em todo o mundo. No mesmo dia, Joaquim avista na montanha dois mensagem que informam que ele deve descer do local, pois Ana engravidaria. Pouco tempo depois assim ocorreu, e nasceu Maria. Quando Maria completou três anos de idade, foi levado a um templo judaico por seus pais, onde devera ficar até os doze anos. Acontece que quando atingiu a idade, Maria já era órfã, e os sacerdotes receberam orientação do que chamaram de anjo, escolhendo José para recebê-la. José era um homem bem mais velho que Maria, e tinha como dever protegê-la, já que ela era considerada pelos judeus como uma enviada de Deus, constando no texto atribuído a Tiago que ela permaneceu intocada.

O maior mistério de que se lembra quando se fala de Maria, diz respeito a ela ser virgem mesmo concebendo Jesus. Os evangelhos de Lucas e Mateus afirmam que ela se manteve virgem e que Jesus foi concebido pelo Espírito Santo, ou seja, de maneira tida como milagrosa. Conforme consta na Bíblia, Maria recebeu a visita do anjo Gabriel que anunciou a concepção por intermédio do Espírito Santo, sendo então Maria acolhida por sua prima Isabel, já que José estaria ausente por longo período ao trabalho. José, ao retornar, encontrou Maria grávida de seis meses, e duvidando de sua fidelidade, foi também visitado por um anjo que lhe explicou a situação. A gravidez foi tranquila e o nascimento de Jesus se deu por parto fisiológico.

Tal concepção abordada pela Bíblia seria miraculosa, e de acordo com a visão espírita, não existem milagres, tendo todos os acontecimentos uma relação com a Lei Natural criada por Deus, não necessitando Ele de provar por meio de milagres a sua grandiosidade. É o que demonstra o livro "A Gênese", tópico "Faz Deus milagres?": “Não sendo necessários os milagres para a glorificação de Deus, nada no Universo se produz fora do âmbito das leis gerais. Deus não faz milagres, porque, sendo como são, perfeitas as suas leis, não lhe é necessário derroga-las. Se há fatos que não compreendemos, é que ainda nos faltam os conhecimentos necessários”.

A reprodução humana faz parte das Leis Naturais, e se Ele fosse gerado de forma milagrosa, essas leis seriam contrariadas. A Doutrina Espírita não vai contra a participação do que se costuma denominar Espírito Santo, visto que obviamente a reencarnação de Jesus foi planejada nos mínimos detalhes por espíritos muito superiores, e aqui entra a participação do “Espírito Santo”. Entretanto, assinala que a fecundação de Jesus se deu por vias normais entre Maria e José. Estima-se que o mito de sua virgindade advém da necessidade que a Igreja sentia em diminuir a promiscuidade, já que naquela época, o sexo deveria ter apenas o intuito de procriação para não causar a extinção da raça humana, mas ligava o sexo ao pecado, por isso, quanto menos fosse feito, menos pecados as pessoas teriam. Há também que se falar que um dos gatilhos desse mito se deu pela própria figura de Jesus, que sendo tido como um Deus, não poderia ser um fruto do pecado original de Adão e Eva.

Importante deixar claro que apesar dessas divergências, o Espiritismo nutre profundo respeito por Maria, tendo certeza de que se trata de um espírito muito evoluído e muito puro, tanto que recebeu a missão de conceber e conduzir o governador de nossa Terra como um modelo e guia da humanidade.

Hoje, no plano espiritual, o trabalho de Maria continua. Maria dirige várias organizações de socorro aos necessitados. No livro "Memórias de um Suicida", de autoria do espírito Camilo Castelo Branco, pela médium Yvonne do Amaral Pereira, demonstra-se que é realizado o socorro a espíritos que cometeram o suicídio pela Legião dos Servos de Maria, dirigido por ela mesma, e que tem como finalidade o socorro daqueles que, pelo autoextermínio, sofrem demais no mundo espiritual. Acerca deste livro, cita-se:


“No livro mediúnico "Memórias de um Suicida" inteiramo-nos da notável e completa assistência aos suicidas em profundo sofrimento no Além, pela Legião dos Servos de Maria, chefiada pelo grande Espírito Maria de Nazaré, ser angélico e sublime que na Terra mereceu a missão honrosa de seguir, com solicitudes maternais. Aquele que foi o redentor dos homens! Um setor muito importante da assistência aos suicidas é a Cidade Universitária, que abriga as entidades com alta do Departamento Hospitalar e, naturalmente, aptas a frequenta-la. O Diretor dessa cidade, Irmão Sóstenes ao receber um novo grupo de aprendizes, assim explicou-lhes a sua origem: ‘Maria, sob o beneplácito de seu Augusto Filho, ordenou sua criação para que vos fosse proporcionada ocasião de preparativos honrosos para a reabilitação indispensável. Encontrareis no seu amor de mãe sustentáculo sublime para venceres o negror dos erros que vos afastam das pegadas do Grande Mestre a quem deveis antes amor e obediência! Espero que sabereis compreender com inteligências as vossas próprias necessidades”.

Ainda no mesmo livro, demonstra-se que Maria resgata, também, pessoalmente, os necessitados: “Geralmente, porém, os avisos e as ordens vêm de mais alto... de lá, onde paira a assistência magnânima da piedosa Mãe da Humanidade, a governadora de nossa legião... Se as entidades em apreço não pertencem à sua tutela direta de Guardiã, poderá o Guardião da falange ou da legião a que pertencerem implementar o seu favor em prol dos transviados, seu amoroso concurso para o alvo a ser colimado, porquanto existe a fraterna solidariedade entra as várias agremiações do Universo Sideral, infinitamente mais perfeitas que as existentes entre as nações físico-terrenas (...). No entanto, se a outro iminente espírito for dirigida súplica, será esta encaminhada a Maria e seguir-se-ão as mesmas providencias, pois, como vimos afirmando, é Maria a sublime acolhedora dos réprobos que se arrojaram aos temorosos abismos da morte voluntária. Tudo isso, porém, não quererá certamente dizer que nossa excelsa Diretora precisará esperar súplicas e pedidos de quem quer que seja a fim de tomar suas caridosas providências! Ao contrário, essas foram perenemente tomadas, com a manutenção dos postos de observação e socorro especiais para suicidas."

Ela também chefia o Hospital Maria de Nazaré e a Mansão da Esperança. E, para finalizar, também é interessante citar a questão da Hora do Ângelus. Dentro os cristãos, principalmente entre os católicos, há o costume de orar à Maria às dezoito horas. A mediunidade de Yvonne Pereira do Amaral nos ensinou que esta hora também é de reverencia por muitos espíritos à Maria no plano espiritual.

*Rafaela Paes é colunista voluntária do Blog Letra Espírita. Leia outros artigos de sua autoria clicando aqui.

#RafaelaPaes #MariadeNazaré #MulheresdoEvangelho

Contatos:

22  2724-0945

blog@letraespirita.com.br

© 2018 por Equipe Letra Espíírita