• Letra Espírita

As 3 Revelações De Deus

Atualizado: 3 de Set de 2019



Rudymara

Grupo de Estudos Allan Kardec


Jesus dizia: “Eu não vim destruir a lei”, porque “A Lei” para os judeus consistia nos mandamentos escritos por Moisés que estão nos cinco primeiros livros da Bíblia: Gênese, Êxodo, Levíticos, Deuteronômio e Números.


Tais leis serviram de freio para conter aquele povo ignorante. Elas eram rígidas e seu lema era: “olho por olho dente por dente”. Por exemplo: “Os filhos desobedientes e rebeldes, que não ouçam seus pais e se comprometam no vício, serão apedrejados até a morte”. (Deuteronômio, 21: 18-21). Quantas igrejas, templos, estariam vazios, pois a maior parte foram, ou são, filhos desobedientes e rebeldes. Em seus depoimentos eles dizem: “Eu fui um ex-viciado, ex-presidiário, etc.” Se aplicássemos a lei de Moisés, não daria tempo para muitos “aceitar Jesus”, porque estariam mortos.


Mas, naquele tempo, as leis de Moisés eram respeitadas, apesar de se confundir com as leis de Deus que ele recebeu no Monte Sinai: Os dez mandamentos. Pois, muitas leis de Moisés pediam para apedrejar até a morte, e uma das leis divina dizia: “Não matarás.” Mas, de qualquer forma eram respeitadas.


Mais tarde, séculos depois, surge Jesus, falando de amor, perdão, etc. O povo judeu, mais particularmente os doutores da lei (os grandes conhecedores da lei de Moisés), acharam estranho, porque para eles parecia que Jesus estava pregando contra a lei de Moisés. Mas, na verdade, eles não entenderam que Jesus veio cumprir, desenvolver, dar verdadeiro sentido a lei de Deus, ou seja, aos dez mandamentos, e não ás leis de Moisés. Antes de morrer, Jesus disse: "Muitas coisas tenho para vos dizer, mas vós não as podeis suportar agora." (Jo 16:12). Era preciso aguardar o amadurecimento da alma humana e o progresso da ciência. E Jesus acrescentou: “Se me amais, guardai os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai e Ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco. (...) O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê e absolutamente não o conhece. Mas quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós. (...) Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito.” - (Jo 14:15/17 e 26).


Então, em meados do século XIX. O progresso científico e a evolução das idéias modificaram a organização social (igualdade, liberdade, fraternidade) deram tolerância maior para todas as formas de pensamento, permitiram uma visão mais cosmopolita e universal e levaram a uma busca do entendimento dos fatos pela razão.


O ambiente humano está favorável a uma nova revelação e, no centro cultural do mundo de então (a França), o Espiritismo vai surgir.


A iniciativa é dos espíritos: manifestam-se e se comunicam em fenômenos (efeitos físicos e intelectuais), chamando a atenção da humanidade para a realidade espiritual, a fim de "salvá-la" do materialismo e do egoísmo.


E, na parte de elaboração humana, Kardec codifica os ensinos, a Doutrina dos Espíritos, denominando-a Espiritismo, sendo seus princípios fundamentais: Deus, a Criação, existência e sobrevivência do espírito, intercâmbio mediúnico, vidas sucessivas (reencarnação), evolução, lei de causa e efeito, pluralidade dos mundos habitados, unidade e solidariedade universal.


O Espiritismo:

- não revoga a lei divina revelada por Moisés e por Jesus.

- recorda, explica, completa, desenvolve, fazendo aliança da Ciência e da Fé.

- Atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança. (O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. VI).


Caráter principal da revelação espírita: verdade consoladora.

Anúncio de uma sequência na revelação, futuramente: Está no caráter progressivo do Espiritismo, que não foi trazido como uma doutrina já completa, sem nada mais a acrescentar, os ensinamentos continuam e continuarão sendo trazidos do mais Alto, conforme a nossa necessidade de progresso espiritual e, também, a serem adquiridos pelo progresso científico.


Então, as 3 revelações divinas são: 1ª) os 10 mandamentos recebidos por Moisés, 2ª) a lei de amor trazidos por Jesus e a

3ª revelação divina é o Espiritismo, que são os ensinamentos trazidos pelos "Espíritos Superiores", chamados de "Espírito Santo" por várias religiões. Através de várias "médiuns", chamadas de "profetas" por várias religiões. Portanto, Kardec apenas coletou e organizou tais ensinamentos para que pudesse nascer um código de normas morais que se encontram nas obras básicas da doutrina espírita. Mas, lembremos que, o Espiritismo, não foi trazido como uma doutrina já completa, sem nada mais a acrescentar, os ensinamentos continuam e continuarão sendo trazidos do mais Alto, conforme a nossa necessidade de progresso espiritual e, também, a serem adquiridos pelo progresso científico.



--------------


Conheça o Clube do Livro Letra Espírita em www.letraespirita.com.br e associe-se para receber em sua casa o melhor da literatura espírita.

Contatos:

22  2724-0945

blog@letraespirita.com.br

© 2018 por Equipe Letra Espíírita