• Letra Espírita

Entrevista com a autora de "Todo Amor Vale a Pena"



O livro "Todo Amor Vale a Pena" faz parte da seleção de livros que serão distribuídos pelo Clube do Livro Letra Espírita em Julho/17. A obra é ditada pelo Espírito João de Deus e psicografado pela médium Marilene Lavorente, a qual conversou um pouco conosco sobre o livro e a mediunidade. Leia abaixo a entrevista completa:

1 - Como você se tornou espírita?

Primeiramente devo falar um pouco sobre minha mãe, que foi a responsável por me tornar espirita. Ela conheceu a Doutrina logo após se casar. Ficou muito doente e os médicos não encontravam a causa. Por indicação de um amigo da família foi levada por meu pai a uma Casa Espirita, vindo a obter a cura através de trabalhos espirituais naquela Casa. Desde então se tornou assídua colaboradora na Doutrina, encaminhando todos os filhos para a Evangelização Infantil. Portanto, eu e meus irmãos nascemos em um lar Espirita.

2 - Ao se tornar uma autora espírita, de que forma isso contribuiu para sua evolução espiritual?

Contribuiu como contribuiria igualmente a qualquer pessoa que ama ler, já que ao nos dispormos a leitura, consequentemente estamos nos instruindo e evoluindo. Posso afirmar que em termos de evolução, sendo autora espiritual ou colaboradora do mundo espiritual, nada mudou por essa razão, e sim pela oportunidade que todos temos através da imensa gama de Obras Espiritas, as quais nossos irmãos encarnados e do Além nos presenteiam com muito amor. Aprendi muito, não só através dos livros que escrevi, como também com todos os outros que li durante minha vida.

3 - O que costuma lhe inspirar para a produção de seus livros?

Não tenho inspiração alguma, nem mesmo sei ou penso em escrever. Simplesmente acontece. Às vezes, quando estou trabalhando no computador, de repente chega uma frase em minha mente e então começo a escrever.

4 - Como é sua rotina para escrever? Possui um horário determinado ou escreve quando surge oportunidade?

Quando eu dispunha de mais tempo escrevia sempre pela manhã, mas hoje, quando surge oportunidade.

5 - Como conheceu o Espírito João de Deus, autor espiritual da obra?

Nosso primeiro contato foi através da psicofonia na casa espirita que frequento. Disse que era meu amigo, meu mentor espiritual e que iriamos trabalhar juntos, se apresentando com o nome de João de Deus. Esse nome já era muito conhecido na época, havia muitas pessoas usando o mesmo nome, inclusive um escritor português que viveu há muitos anos atrás. Mostrou-se alegre e jovial, deixando a impressão de não possuir mais que 25 anos de idade.

6 - Como é a sua relação com o Espírito? Vocês mantêm intercâmbio apenas para a psicografia ou no dia a dia ele lhe inspira e orienta?

Não apenas para a psicografia. Sempre tenho orientações e quando me encontro em duvidas, algo que me parece impossível discernir, sou inspirada com uma esplendida resposta e admirada me pergunto: Como não pensei nisso antes? Esse não foi o primeiro romance que escrevemos. Preciso dizer que tive alguns traumas na infância e continuei a tê-los na vida adulta até escrever o primeiro romance. Quando escrevia não via ligação alguma entre meus traumas e o que me era narrado na história. Em certa cena, de muita dor e tristeza, algo aconteceu em minha mente e tive a nítida lembrança de uma vida passada e a certeza que vivi aquela cena que descrevia. Pude então perceber e ter confirmado por ele, que meu amigo estava narrando a minha penúltima encarnação e que ele fazia parte da minha vida passada, reencarnado em minha família. Pude então perceber que todos os traumas eram consequências dos dramas vividos por mim e que me acompanhavam na vida presente. Depois de conhecer meu passado, nunca mais senti medo e a serenidade tornou-se minha companheira.

7 - Por que escolheram escrever esta história? Qual objetivo que pretendem alcançar?

Como já dito, nunca sei o que escreverei, nunca escolho o que escrever, apenas sou inspirada e algo incrível acontece, surgem palavras em minha mente que se transformam em frases formando um enredo e consequentemente uma bela história começa a ser narrada. Confesso que fico encantada com tudo isso, sinto como se fosse uma cascata que jorra continuamente em minha mente. Eu não sabia sobre o que escreveria, portanto, o objetivo ou mérito é todo do Espirito João de Deus. Mas acredito que o objetivo é comum, ajudar as pessoas através de histórias ou romances a encontrar a si próprios, encaixando-se na leitura de um modo geral ou apenas como instrução ou base de aprendizado e evolução.

8 - Em sua opinião como a literatura espírita pode colaborar para a sociedade de modo geral?

Nosso planeta está passando por uma fase muito difícil. Guerras, fome e doenças avassalam a Terra e isso traz muito sofrimento ás pessoas. Muitos não se conformam com as gritantes diferenças sociais revoltando-se e tornando ainda pior a situação presente. A literatura espirita chega como um bálsamo que alivia as dores, mostrando que nada acontece por acaso e tudo tem um porquê de ser. Como já ouvimos certa vez, é como tirar o véu que cobre o desconhecido, fazendo-se descortinar um novo mundo, uma nova esperança, transformando corações antes revoltados, em dóceis servos de Jesus, juntando-se esperançosos e sendo mais um elo dessa corrente do bem e de amor.

=====

Visite o site www.letraespirita.com.br e associe-se para receber em sua casa o melhor da literatura espírita pagando uma mensalidade fixa e inferior ao preço de capa dos livros.

#Entrevista #ClubedoLivro

Contatos:

22  2724-0945

blog@letraespirita.com.br

© 2018 por Equipe Letra Espíírita