Tópicos

Parábolas e Ensinos de Jesus



As parábolas ensinadas por Jesus não foram muitas, porém, cada uma delas tem um endereço certo e objetiva equacionar um problema, de forma que, quando se pretende obter um esclarecimento sobre determinado assunto que atormenta o homem, basta apelar para as parábolas, porque nelas se encontra a solução.

Nas parábolas, o Mestre Maior criava personagens, dando vida às Suas narrações, as quais passavam assim a ter profundeza e extensão, necessárias para que pudessem atravessar os séculos, chegando incólumes aos nossos dias.

Jesus Cristo criou um tipo de parábola para cada espécie de problema. Cada uma delas objetiva atingir um fim, equacionando numerosos casos que afligem o ser humano.

São fartamente utilizadas as parábolas nas falas do Enviado de Deus. Seu pensamento, comumente tão luminoso, mergulha por vezes em meia obscuridade. Não se percebem, então, mais que os vagos contornos de uma grande ideia dissimulada sob o símbolo.

Ensina Léon Denis que havia duas doutrinas no Cristianismo primitivo: a destinada ao vulgo, apresentada sob formas acessíveis a todos, e outra oculta, reservada aos discípulos e iniciados.

Paulo confirma essa duplicidade, em sua Primeira Epístola aos Coríntios, capítulo três, quando distingue a linguagem a usar com homens carnais ou com os homens espirituais, isto é, com profanos e iniciados. A ênfase mais grave quanto a isso a deu o próprio Cristo ao aconselhar: Não deis aos cães as coisas santas, e nem deiteis aos porcos as vossas pérolas.

A iniciação era indubitavelmente gradual… Os que a recebiam eram ungidos e, depois de haverem recebido a unção, entravam na comunhão dos santos. É o que ressalta das seguintes palavras de João, o Evangelista: Vós outros tendes a unção do santo e sabeis todas as coisas. Eu não vos escrevi como se ignorásseis a verdade, mas como a quem a conhece.

A Boa Nova trazida por Jesus ia ferir de morte as ideias dominantes e ameaçar a estabilidade das instituições políticas e religiosas, modificando o status-quo, e suscitar em torno de si mil obstáculos, mil perigos. Daí, um novo motivo para ocultar no mito, no milagre, na parábola, o que em Sua Doutrina pudesse provocar anátemas. As obscuridades do Evangel