Tópicos

Personalidades Espíritas: Conheça Divaldo Franco


“O amor que se faz apaga o mal que se fez.” (Divaldo Franco)


Divaldo Pereira Franco, mais conhecido como Divaldo Franco, nasceu no dia 5 de maio de 1927, sendo natural de Feira de Santana, no interior da Bahia. Dos seus noventa anos de idade, setenta foram dedicados á causa espírita e ás crianças das periferias de Salvador, na Bahia. Divaldo é reconhecido por todos como um dos maiores médiuns e oradores da atualidade, tendo psicografado mais de 200 obras espíritas. A sua persistência no labor mediúnico, na dedicação aos mais carentes, tanto de pão como de luz, acende uma nova chama de fé e de esperança no coração do mundo.


O primeiro contato de Divaldo com o Espiritismo foi em 1944. Mal tinha se recuperado de uma tragédia familiar envolvendo o suicídio da irmã Nair, ele enfrentou outro momento difícil. Um de seus irmãos, José, morreu vítima de aneurisma. Em poucas horas, Divaldo deixou de andar e uma paralisia o deixou preso à cama por mais de seis meses. Quem o curou foi uma famosa médium de Salvador, Ana Ribeiro Borges. Assim que o visitou, ela viu que o problema era espiritual. Seria reflexo da presença perturbadora de José. Atordoado pela morte inesperada, o moço estaria preso ao único da casa portador de mediunidade ostensiva. No mesmo dia, Divaldo voltou a andar.


A partir daí, iniciou suas atividades como espírita e não parou mais. Já como espírita convicto, fundou o Centro Espírita Caminho da Redenção (CECR), em 7 de Setembro de 1947. Como orador, Divaldo começou a fazer palestras no mesmo ano de 1947, divulgando a Doutrina Espírita. Hoje apresenta uma histórica e recordista trajetória no Brasil e no exterior, sempre atraindo multidões com suas palavras esclarecedoras. Divaldo aborda vários temas sobre os problemas humanos e espirituais. Suas palestras promovem o pacifismo, estabelecem pontos de convergência entre a Doutrina e a ciência (principalmente a psicologia), incentivando assim, a busca constante pelo autoconhecimento.


Divaldo apresenta, desde jovem, diversas faculdades mediúnicas, tanto de efeitos físicos quanto de efeitos intelectuais. Destaca-se, dentre elas, a psicografia. Recebia mensagens assinadas por diversos espíritos, dentre eles, Joanna de Ângelis, que durante muito tempo apresentava-se como um “Espírito amigo”. Ela revelou-se como sua orientadora espiritual, escrevendo inúmeras mensagens, em um estilo agradável que conforta aos mais diversos leitores e necessitados de diretriz espiritual.


Em 1964, Joanna selecionou várias das mensagens de sua autoria e colocou-as em um livro, chamado "Messe de Amor". Foi o primeiro livro que o médium publicou. Em "A veneranda Joanna de Ângelis", escrito por Divaldo Franco e Celeste Santos, constam biografias do médium baiano e de sua mentora espiritual bem como informações sobre o trabalho educacional e assistencial desenvolvido pela Mansão do Caminho (fundada por Divaldo e Nilson de Souza Pereira em 15 de agosto de 1952), além de entrevistas com Divaldo Franco e relatos de reencarnações de Joanna de Ângelis.


Desde jovem sempre teve vontade também de educar crianças. Educou mais de 600 filhos. Hoje, a maioria está com família constituída e com a própria profissão, como professores, médicos, psicólogos, entre outros. Hoje, a Mansão do Caminho é um admirável complexo filantrópico que atende 3.000 crianças e jovens carentes. A obra é mantida com a venda de livros mediúnicos e DVD’s gravados nas palestras.


Divaldo recebeu diversos prêmios ao longo de sua vida, como por exemplo: Comenda da paz Chico Xavier, pelo governo de Minas Gerais; Doctor in Parapsychology pela ITI; 590 homenagens de entidades da sociedade civil organizada, além de receber uma homenagem poética feita pelo poeta José Olívio Paranhos:


Médium ou medianeiro

É o porta-voz do além

Por onde fala o espírito

O que não e o que convém

Prova ser a vida eterna

Não se engana e nem erra

Quem o dito crê e bem.


Divaldo, Paulo de Tarso,

Desse tempo atual

Conversa com os espíritos

Como se fosse um igual

Mas seu maior atributo

É ser um tribuno arguto

Do mundo espiritual.

Postagens Recentes