Tópicos

Recompensas da Dor - Resenha


Luana Oliveira


A obra “Recompensas da dor” foi lançada no mês de julho do ano de 2020, é editada e distribuída pela Editora Letra Espírita. Escrita por Mario Silveira, estudante da Doutrina Espírita desde o ano de 1999, e que desde 2016 faz parte do grupo espírita “Grupo Fraterno Amor e Luz”, localizado em Jataí, Estado de Goiás. A obra é resultado de uma psicografia recebida de um Espírito amigo, Antônio.


A história é descrita diretamente pelo Espírito Antônio, que relata sua experiência vivida há cerca de três encarnações. A obra nos convida a conhecer um pouco sobre elas, com o principal objetivo de nos mostrar como as dificuldades e desafios existem para serem superados com resignação, mantendo sempre a fé. Além disso, a obra aborda questões importantes da Doutrina Espírita, como a Lei de causa e efeito. Os acontecimentos nos convidam a refletir subitamente sobre um capítulo importantíssimo da obra de Allan Kardec, O céu e o inferno, no qual ele diz, no capítulo VII, “As penas futuras segundo o Espiritismo” item número 9 do “Código penal da vida futura”: “Toda falta cometida, todo mal realizado, é uma dívida contraída que deverá ser paga; se não for em uma existência, sê-lo-á na seguinte ou seguintes, porque todas as existências são solidárias entre si. Aquele que se quita numa existência não terá necessidade de pagar segunda vez”.


A obra é escrita em primeira pessoa, o que noz faz criar uma conexão ainda mais forte com a história, fazendo com que nos atrelemos instantaneamente aos fatos narrados e acompanhando de forma inevitável as diferentes emoções que compõem essa belíssima e surpreendente história descrita em 160 páginas, ao longo de seus 13 capítulos.


A obra é inteiramente magnífica, com muitos ensinamentos edificantes e necessários, durante a trajetória de Antônio em sua encarnação, na qual sofre perdas imensuráveis. O livro mostra como a dor pode machucar e desviar alguém de seus bons princípios; de um maravilhoso pai de família a um homem que cometeu uma grande falha imperdoável e injustificável para a maioria. A partir disso indica-se que, muitas vezes, essa mudança não se dá de forma súbita e inexplicável, pois, assim como nascemos com uma sementinha positiva, nascemos também com sementes negativas, com memórias gravadas em nós, assim como um móvel com marcas de uso. Algumas marcas representarão lembranças boas e, outras, ruins.


Antônio, após seu desencarne, passa por momentos de dor e angústia, mas depois experimenta em dobro momentos bons junto daqueles que tanto ama, descobrindo sobre eternidade do Espírito, entendendo que precisa aprender muito para que obtenha sucesso em uma encarnação seguinte, assim como precisou aprender para viver como Antônio, e assim como aprendeu para reencarnar antes disso. Antônio descobriu que, ao contrário do que um dia havia pensado, não era uma mera vítima do acaso, e sim alguém que possuía resgates a serem feitos na busca pelo aprimoramento moral de seu Espírito, na maioria das vezes sofrendo das mesmas feridas que um dia ele também causou a outrem. Convido você, caro leitor, a conhecer essa magnífica obra que tem muito a nos ensinar.

KARDEC, Allan. O Céu e o inferno. Tradução de Manoel Quintão. 61ª edição, 1ª impressão (edição histórica). Brasília: Editora FEB, 2013.

115 visualizações
Postagens Recentes