top of page
Tópicos

A Importância de Moisés para o Espiritismo


Nandra Laura


Moisés é uma figura intrigante. Um personagem do Antigo Testamento, cuja façanha alguns resumiu aos Dez Mandamentos. Sua vida se tornou um filme, novela e animação infantil. De fato, a história de Moisés é encantadora e sobra enredo.

 

Qual a importância de Moisés para a Doutrina Espírita? Será que Moisés tem alguma coisa a ver com o Espiritismo? E se tiver, será que é o mesmo Moisés dos nossos irmãos evangélicos e católicos?

 

Moisés na visão da Doutrina Espírita é considerado a Primeira Revelação, isso está contido no Capítulo Primeiro de O Evangelho Segundo Espiritismo, cujo título é “Eu não vim Destruir a Lei”.

 

O significado de revelar é tirar o véu, manifestar, divulgar. Esse foi um dos papéis de Moisés em sua encarnação. Um Espírito de grande envergadura moral e gigante responsabilidade para preparar o terreno dos corações terrestres para os ensinamentos do Mestre.

 

Salutar entender o papel de Moisés por meio de duas perguntas: Quem foi Moisés? O que é Moisés? Quando se pergunta quem foi, reside aí sua biografia, sua história, suas particularidades. Mas quando se pergunta o que é o Espírito de Moisés, esse personagem se torna mais interessante.

 

Moisés nasceu no ambiente do povo Hebreu, porém, na época, o Rei do Egito proclamou uma lei que exigia a morte de meninos que nasciam dessa raça, por temor de se tornarem populosos e se rebelarem, já que eram escravizados.

 

A mãe de Moisés conseguiu escondê-lo por três meses. Sua irmã, Miriam, planejou “deixá-lo” no Rio Nilo à margem e ficou cuidando, pois sabia que a filha do Faraó o viria, afinal, quem resistiria a um bebê?

 

Imediatamente, Miriam apareceu dizendo tratar-se de um bebê hebreu e já a induziu a arrumar uma ama de leite (que foi sua mãe biológica). Moisés foi adotado e viveu no palácio do Faraó recebendo toda cultura egípcia.

 

Alguns anos se passaram e Moisés em sua vida adulta voltou à comunidade de origem e foi responsável por tantos feitos que podem ser lidos nos primeiros cinco capítulos do Antigo Testamento: Gênesis, Êxodo, Números, Levítico e Deuteronômio.

 

Mas o que é o Espírito de Moisés? É um espírito Missionário. O Livro dos Espíritos traz algumas características desses irmãos.



Moisés traz grandes lições sobre mediunidade. Espíritas são duramente criticados por “falar” com Espíritos. Moisés é considerado especial porque Deus falava com ele. Mas o que é falar com Deus? Nada mais é do que uma comunicação do Plano Espiritual com o plano material,

 

A missão de Moisés foi libertar o povo Hebreu e pregar o Monoteísmo, ou seja, que existe um só Deus – O Criador – já que para os egípcios e outros povos ainda estavam sob a ilusão do politeísmo.

 

Moisés foi um grande líder e organizador, por isso quando no primeiro capítulo de O Evangelho Segundo Espiritismo fala-se “Na lei mosaica, há duas partes distintas: a Lei de Deus, promulgada no monte Sinai, e a lei civil ou disciplinar, decretada por Moisés. Uma é invariável; a outra, apropriada aos costumes e ao caráter do povo, se modifica com o tempo.”

 

O povo hebreu precisava ser separado e expurgar seus vícios morais no deserto já que no período de escravidão foram contaminados com os costumes egípcios.

Esse período foi necessário e desafiador uma vez que sendo escravos tinham alimento e abrigo e ir para o deserto não era algo atrativo, nem a promessa da Terra Prometida prevaleceu no coração.

 

Moisés não foi perfeito. Qualquer um que esteja encarnado passa por experiências as quais chamamos de provas e expiações. Moisés, já adulto, matou um egípcio que maltratava um hebreu e fugiu para não ser condenado.

 

Segundo a Bíblia ele tinha problemas na fala, não se sabe dizer ao certo se seria um problema de dicção ou gagueira, por isso, seu irmão Arão, era seu companheiro e porta-voz.

 

Os anos foram se passando e nosso irmão foi se tornando impaciente, tanto que ele não teve acesso à Entrada à Terra Prometida, mas lhe foi permitido visualizar antes de sua morte um deslumbre do que seria.

 

Nada disso desvaloriza sua missão e sua biografia na Terra. Moisés deixou a Lei Universal que cabe em qualquer tempo e em qualquer país, cultura ou sociedade. Tomemos, por exemplo, roubar é inaceitável em qualquer tempo ou espaço.

 

Deus, em sua inteligência suprema e nosso amado mestre Jesus, enviaram ao nosso planeta, seu melhor missionário que tocou os corações de irmãos de várias religiões e nos legou os mandamentos que até hoje respeitamos.

561 visualizações

Comments


Postagens Recentes
Postagens Populares