Tópicos

Cleptomania na Visão Espírita

Atualizado: 13 de out.


Fernanda Oliveira


Segundo o dicionário online, cleptomania é impulso anormal ou tendência incontrolável que leva alguém a roubar, não se importando com o valor da coisa roubada, chegando a roubar coisas sem valor algum (Dicionário Online de Português, s.d, on-line). O indivíduo com este transtorno sente uma necessidade incontrolável de subtrair o objeto de terceiros, mesmo que possua condições financeiras para obter licitamente aquele objeto. É um transtorno de impulso, a pessoa sente uma adrenalina no momento da realização do ato. Após a adrenalina a pessoa frequentemente sente medo de ser apanhada e pode se sentir culpada e até mesmo deprimida.


Geralmente os indivíduos que apresentam a cleptomania apresentam mais de um transtorno mental e/ou emocional como transtorno de humor e ansiedade – e pode ser desencadeado por carência de afeto, depressão, angústia, obsessão, alívio e conforto emocional. Esse transtorno acomete de 0,3 a 0,6 % da população geral, sendo mais prevalente em mulheres. De difícil diagnóstico, pois, o ser tem dificuldade de relatar e procurar auxílio com medo de punições ou de ser preso.


As heranças do passado próximo ou remoto dão lugar aos transtornos psicóticos e neurológicos; são múltiplas as manifestações de desequilíbrio mental e emocional cujas causas estão nos pensamentos, palavras e atos que constituem a existência. Refletem no perispírito e registram-se no corpo físico em encarnações posteriores. As enfermidades mentais são efeitos e não causas. Segundo Kardec: “As doenças fazem parte das provas e das vicissitudes da vida terrena; são inerentes à grosseria da nossa natureza material e à inferioridade do mundo que habitamos” (Kardec, 2010,p. 538)


Podemos entender uma doença como uma alteração no estado normal de saúde, que pode ocorrer no organismo, em algum órgão ou no estado mental e psicológico. Além de saúde ser ausência de doença, concebe-a como o estado de completo bem-estar físico, mental e social. Não se pode pensar em uma vida digna e plena sem ter saúde (Oliveira, 2016, p. 11).



A doença não é uma punição, é sim um recurso de aprendizado. Certos acontecimentos e doenças são permitidas para estimular o espírito a cumprir com a sua jornada evolutiva (Schubert, 2019, p. 130). Onde colocamos os nossos pensamentos e sentimentos, desenvolvemos a nossa vida, pois vivemos dos valores que cultivamos.