Tópicos

Premonições na Visão Espírita


Rafaela Paes

Em artigos antigos o tema do conhecimento do futuro já foi trabalho, por isso, devemos relembrar que “em princípio, o futuro lhe é oculto e não é senão em casos raros e excepcionais que Deus permite a revelação” (Questão 868 de O Livro dos Espíritos). Explica ainda a razão pela qual o futuro nos é oculto durante a vida, haja vista que “se o homem conhecesse o futuro, negligenciaria o presente e não agiria com a mesma liberdade, porque seria dominado pelo pensamento de que, se uma coisa deve acontecer, não tem que se ocupar dela, ou então, procuraria dificultá-la. Deus não quis que fosse assim, a fim de que cada um concorresse para a realização das coisas, mesmo às quais gostaria de se opor. Assim, ti mesmo, frequentemente, preparas, sem desconfiar disso, os acontecimentos que sobrevirão no curso da tua vida” (Questão 869 de O Livro dos Espíritos).


Ainda, em nota à questão 871 de O Livro dos Espíritos, Kardec elucida:


Quanto mais se reflita sobre as consequências que resultariam para o homem o conhecimento do futuro, mais se vê quanto a Providência foi sábia ao ocultá-lo. A certeza de um acontecimento feliz, o mergulharia na inanição; a de um acontecimento infeliz, no desencorajamento. Em um e outro caso suas forças estariam paralisadas. Por isso, o futuro não é mostrado ao homem senão como um fim que ele deve atingir por seus esforços, mas sem conhecer o processo pelo qual deve passar para atingi-lo. O conhecimento de todos os incidentes do caminho diminuiria sua iniciativa e o uso de seu livre-arbítrio e ele se deixaria arrastar pela fatalidade dos acontecimentos, sem exercitar suas faculdades. Quando o sucesso de uma coisa está assegurado, ninguém se preocupa mais com ela.


Muitos são, também, os que alegam ter sonhos premonitórios. Sobre isso, elucida breve trecho da questão 402 de O Livro dos Espíritos que diz: “Credes, enquanto o corpo repousa, o Espírito dispõe de mais faculdades do que na vigília. Tem o conhecimento do passado e, algumas vezes, previsão do futuro. Adquire maior energia e pode entrar em comunicação com os outros Espíritos, seja neste mundo, seja em outro. Muitas vezes, dizes: Tive um sonho bizarro, um sonho horrível, mas que não tem nada de verossímil; enganaste, é frequentemente uma lembrança dos lugares e das coisas que viste e verás em uma outra existência ou em um outro momento. Estando o corpo entorpecido, o Espírito esforça-se por quebrar seus grilhões, procurando no passado e no futuro”.


Além disso, esclarece-nos a Espiritualidade:


Questão 405 de O Livro dos Espíritos: “Veem-se frequentemente, em sonhos, coisas que parecem pressentimentos e que não se cumprem; de onde vem isso”?


“Eles podem cumprir-se para o Espírito, se não para o corpo, isto é, o Espírito vê a coisa que deseja porque vai procura-la. É preciso não se esquecer que durante o sono, a alma está sempre, mais ou menos, sob a influência da matéria, e que, por conseguinte, ela jamais se liberta completamente das ideias terrenas. Disso resulta que as preocupações da vigília podem dar, ao que se vê, a aparência do que se deseja ou do que se teme; a isso, verd