top of page
Tópicos

Transição Planetária: O Sonho da Regeneração


Janaína Magalhães


Ao falarmos sobre transição planetária, é necessário, para bom entendimento, explicarmos a diferença entre os diversos tipos de mundos e em qual tipo a Terra está estagiando. Conforme nos ensina Kardec em O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo III, “Há muitas moradas na casa de meu Pai”, existem diferentes tipos de mundos que vão evoluindo conforme progridem materialmente.

 

Quem pudesse acompanhar um mundo em suas diferentes fases, desde o instante em que se aglomeraram os primeiros átomos destinados a constituí-los, vê-lo-ia a percorrer uma escala incessantemente progressiva, mas de degraus imperceptíveis para cada geração, e a oferecer aos seus habitantes uma morada cada vez mais agradável, à medida que eles próprios avançam na senda do progresso”. (Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. III, Item 19)

 

Assim sendo, paralelamente ao progresso moral de seus habitantes os mundos vão progredindo materialmente conforme já mencionamos. Pela relação dos mundos explicada por Kardec podemos entender que a Terra, no atual estágio em que se encontra, pode ser classificada como mundo de provas e expiações. Isso porque, já tendo passado pelo estágio de mundo primitivo destinado às primeiras encarnações do Espírito que tem que lutar por sua subsistência e no qual as paixões reinam soberanas, agora se encontra num mundo ainda primitivo, onde há primazia do instinto e onde o mal predomina, mas que por meio de provas e expiações vai se aprimorando e evoluindo e luta por sair do ciclo de reencarnações dolorosas pelas quais ainda precisa passar para depuração de suas faltas do passado e para a evolução de seu Espírito.

 

Conforme anunciam as antigas escrituras e a Doutrina Espírita, é chegado o tempo de nova transição planetária em que o Planeta Terra avança para se tornar um mundo de regeneração e passa por grandes transformações. Nesse tipo de mundo, ainda predomina o mal, mas há muito crescimento moral, o amor ao próximo é a base das relações sociais e há maior rejeição ao materialismo. A título de conhecimento, após o processo de regeneração ainda há mais dois tipos de mundos nomeados de ditosos, onde o bem já sobrepuja o mal e torna-se algo comum e natural nas relações humanas e os mundos celestes, habitação dos Espíritos puros onde reina o bem.

 

Explicado isso, podemos agora entender melhor o processo pelo qual a Terra e seus habitantes estão passando. À medida em que os homens vão evoluindo moralmente o planeta também evolui e se transforma no aspecto material. Muito se especula sobre o que seria o fim do mundo ou do planeta Terra, mas devemos entender que as modificações não acontecem de uma vez só ou de forma espetacular, e sim, gradativamente. Na verdade, essa transição já vem ocorrendo há algum tempo e atingirá seu ápice por volta de 2057, ano em que o planeta estará regenerado, conforme nos informou Chico Xavier pela psicografia de Emmanuel, no livro Plantão de Respostas: Piga-Fogo II. (Xavier, 1995, p.16)

 

Anunciada essa transformação que se encontra ínsita no processo da evolução, desde o sermão profético anotado pelo evangelista Marcos, no capítulo XIII de seu livro, quando o Divino Mestre apresentou os sinais dos futuros tempos após as ocorrências dolorosas que assinalariam os diferentes períodos da evolução. Mediante as reencarnações, etapa a etapa, ocorre o processo de eliminação das imperfeições morais do ser humano, que se transformam em valores relevantes, impulsionando-o na direção da plenitude que lhe está destinada. (FRANCO,2014, p.5) 

 

Infelizmente, esse despertar da consciência tem-se feito muito lentamente, dando lugar aos desmandos que se repetem a todo o momento, às lutas sangrentas terríveis. Predominam, desse modo, as condutas arbitrárias e perversas, na sociedade hodierna, em contraste chocante com as aquisições tecnológicas e científicas logradas na sucessão dos tempos. (FRANCO,2014, p.6) 

 



São esses paradoxos da vida em sociedade, que a grande transição que ora tem lugar no planeta irá modificar. As criaturas que persistirem na acomodação perversa da indiferença pela dor do seu irmão, que assinalarem a existência pela criminalidade conhecida ou ignorada, que firmarem pacto de adesão à extorsão, ao suborno, aos diversos comportamentos delituosos denominado colarinho-branco, mantendo conduta egotista, tripudiando sobre as aflições do próximo, comprazendo-se na luxúria e na drogadição, na exploração indébita de outras vidas, por um largo período não disporão de meios de permanecer na Terra, sendo exiladas para mundos inferiores, onde irão ser úteis limando as arestas das imperfeições morais, a fim de retornarem mais tarde, ao seio generoso da mãe-Terra que hoje não quiseram respeitar. (FRANCO,2014, p.7)

 

Contribuindo na grande obra da regeneração da Humanidade, Espíritos de outra dimensão estão mergulhando nas sombras terrestres, a fim de que, ao lado de nobres missionários do amor e da caridade, da inteligência e do sentimento, que protegem os seres terrestres, possam modificar as paisagens aflitivas, facultando o restabelecimento do Reino de Deus nos corações. (FRANCO,2014, p.8)

 

OS TEMPOS SÃO CHEGADOS

Até aqui, a Humanidade tem realizado incontestáveis progressos. Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material. Resta-lhes, ainda, um imenso progresso a realizar: fazerem que reinem entre si a caridade, a fraternidade e a solidariedade, que lhe assegurem o bem-estar moral.

 

O homem já não necessita somente de desenvolver a inteligência, mas de elevar o sentimento; para isso, faz-se necessário destruir tudo o que superexcite nele o egoísmo e o orgulho. (A Gênese - Cap XVIII-Item 5)

 

Uma nova ordem de coisas tende a estabelecer-se, e os homens, que lhe são mais opostos para ela trabalham, mesmo sem o saberem. A geração futura, desembaraçada das escórias do velho mundo e formada de elementos mais depurados, se achará possuída de ideias e de sentimentos muito diversos da geração presente que se vai a passo de gigante. (A Gênese - Cap XVIII-Item 6)

 

Mas uma mudança tão radical como a que se está elaborando não pode realizar-se sem comoções. Há, inevitavelmente, luta de ideias. Desse conflito forçosamente se originarão perturbações temporárias, até que o terreno se ache aplanado e restabelecido o equilíbrio. É, pois, da luta de ideias que surgirão os graves acontecimentos preditos e não de cataclismos ou catástrofes puramente materiais. Hoje, não são mais as entranhas do globo que se a agitam: são as da humanidade. (A Gênese - Cap XVIII-Item 7)

 

Somente o progresso moral pode assegurar aos homens a felicidade na Terra, refreando as paixões más; somente esse progresso poderá fazer que reinem entre as criaturas a concórdia, a paz e a fraternidade. Será ele que derrubará as barreiras que separam os povos, que fará que caiam os preconceitos de casta e se calem os antagonismos de seitas, ensinando os homens a se considerarem irmãos e a se auxiliarem mutuamente r não destinados a viver uns à custa dos outros. (A Gênese - Cap XVIII-Item 19)

 

A GERAÇÃO NOVA

Para que os homens sejam felizes na Terra, é preciso que somente a povoem Espíritos bons, encarnados e desencarnados, que só se dediquem ao bem. Havendo chegado o tempo, grande emigração se verifica entre os que a habitam: a dos que praticam o mal pelo mal, ainda não tocados pelo sentimento do bem, os quais já não sendo dignos do planeta transformado, serão excluídos, visto que, se assim não fosse, lhe ocasionariam de novo perturbação e confusão e constituiriam obstáculo ao progresso.  (A Gênese - Cap XVIII-Item 27)

 

No dizer dos Espíritos, a Terra não deverá transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas. (A Gênese - Cap XVIII-Item 27)

 

Trata-se, pois, muito menos de uma geração corpórea do que de uma nova geração de Espíritos. Sem dúvida, é neste sentido, que Jesus entendia as coisas, quando declarava: “Digo-vos, em verdade, que essa geração não passará sem que esses fatos tenham ocorrido”. Assim, os que esperam ver a transformação operar-se por efeitos sobrenaturais e maravilhosos ficarão bastante decepcionados. (A Gênese - Cap XVIII-Item 33)

 

O Espiritismo não cria a renovação social; a madureza da humanidade é que fará dessa renovação uma necessidade. Pelo seu poder moralizador, por suas tendências progressistas, pela amplitude de suas vistas, pela generalidade das questões que abrange, o Espiritismo, mais que qualquer outra doutrina, está apto a secundar o movimento regenerador; por isso, ele é contemporâneo desse movimento. Os Espíritos cansados da dúvida e da incerteza, horrorizados com o abismo que se lhes abre à frente, o acolhem como âncora de salvação e suprema consolação. (A Gênese - Cap XVIII- Item 25)

 

===========

Referências:

 

1- FRANCO, Divaldo. Transição Planetária. Ditado pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda.1 ed. Salvador: LEAL,2014

2- KARDEC, Allan. A Gênese. 2. ed. Brasília: FEB, 2013.

3- KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 1. ed. Campos dos Goytacases-RJ: Editora Letra Espírita, 2023.

4- XAVIER, Francisco Cândido. Plantão de Respostas – Pinga Fogo II. Ditado pelo Espírito de Emmanuel. Editora CEU, 1995.

158 visualizações
Postagens Recentes
Postagens Populares
Siga-nos
  • Logo para Site
  • Facebook Long Shadow
  • Twitter Long Shadow
  • Instagram Social Icon
Procure por  palavras chaves