Tópicos

Alegria nas Pequenas Coisas


Jéssica Araújo


A felicidade é um sentimento ou estado onde as pessoas se sentem confortáveis e alegres.

No mundo, vemos diariamente catástrofes, injustiças e misérias, e incontáveis são os questionamentos sobre todos esses sofrimentos. Através dos ensinamentos da doutrina espírita consoladora aprendemos que passamos por reencarnações seculares e, adquirimos a purificação espiritual à medida que evoluímos moralmente, e é na Terra, o planeta de provas e expiações, que enfrentamos nossos desafios e lições. No trecho a seguir do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo V, é abordado esse assunto:


"Neste mundo, por mais que faça, cada um tem a sua parte de labor e de miséria, sua cota de sofrimentos e de decepções, donde facilmente se chega à conclusão de que a Terra é lugar de provas e de expiações.’’

Deus nos dá a oportunidade a cada nova manhã de poder recomeçar e ser feliz. Um novo dia no plano terrestre é uma grande oportunidade para observar e corrigir nossas falhas conosco e com o próximo.

Existem inúmeros problemas e motivos para não ser feliz e reclamar, mas existem muitos mais motivos para sorrir. Neste momento Deus toca seu coração com amor.


Somos seres imperfeitos e em evolução, logo, nossos verdadeiros sentimentos são influenciados pelo materialismo, poder e egoísmo, sentimentos terrenos que devemos aprender a modificar, pois a verdadeira felicidade não é o material e sim o espiritual, o amor fraterno.


‘’Com efeito, nem a riqueza, nem o poder, nem mesmo a florida juventude são condições essenciais à felicidade. Digo mais: nem mesmo reunidas essas três condições tão desejadas, porquanto incessantemente se ouvem, no seio das classes mais privilegiadas, pessoas de todas as idades se queixarem amargamente da situação em que se encontram.’’ (O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo V).


Muitas pessoas definem a felicidade pelo poder aquisitivo, privilégios sociais, consumismo exagerado e viagens. Mas ao observar, são ocasiões ou estados momentâneos, pois de nada vale o poder sem o amor a si e ao próximo. Atualmente, com o grande número de desencarnes por conta da pandemia mundial que enfrentamos, é nítido com a superlotação e falta de insumos nos hospitais que a aqui não existe preferência por classe social, todos estamos juntos nessa dificuldade.


Ser feliz é estar bem consigo, se aceitar como se é verdadeiramente. A comparação com o próximo é inútil, pois somos seres únicos.


Ouvir o canto dos pássaros, o barulho da chuva, levantar a cabeça e observar as nuvens e o céu, estar em família e com as pessoas que amamos, comer o prato favorito, sentir o vento passando por nós, são tantos os momentos pequenos de felicidade que não nos damos conta desses privilégios simples, muitas pessoas esperam para ser feliz quando comprarem a casa dos sonhos, quando comprar o carro do ano ou receber aquela promoção no trabalho. É tudo passageiro.


Nos momentos de tristeza mude seu hábito, pare de reclamar, auxilie o próximo. Fazer o bem para alguém nos torna útil e vivo, preenche lacunas que nem sabíamos que tínhamos. Quantos não esperam alguém para uma conversa, pois são solitários ou abandonados; pessoas que passam por dificuldades, crianças órfãs, um familiar seu que precise de ajuda. Faça a diferença na vida das pessoas e a mudança na sua vida acontecerá.

REFERÊNCIA


KARDEC, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, São Paulo, 1º edição eletrônica, editora EME.

Postagens Recentes