Tópicos

“A MULHER MODERNA E A ESPIRITUALIDADE”


Jaina Costa


Indo por partes, vejamos o que significa ser mulher;


Em O Livro dos Espíritos temos:


200. Os Espíritos têm sexo?


— Não como o entendeis, porque os sexos dependem da constituição orgânica. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na afinidade de sentimentos.


201. O Espírito que animou o corpo de um homem pode animar o de uma mulher, numa nova existência, e vice-versa?


— Sim, pois são os mesmos Espíritos que animam os homens e as mulheres.


202. Quando somos Espíritos, preferimos encarnar num corpo de homem ou de mulher?


— Isso pouco importa ao Espírito; depende das provas que ele tiver de sofrer.


Comentário de Kardec: Os Espíritos encarnam-se homens ou mulheres, porque não têm sexo. Como devem progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, oferece-lhes provas e deveres especiais, e novas ocasiões de adquirir experiências. Aquele que fosse sempre homem, só saberia o que sabem os homens.


É vastamente conhecido as dificuldades enfrentadas pelas mulheres ao longo da história humana. Passeando pelos registros que nos ficaram vamos ver o quão humilhadas, ignoradas, exploradas foram as mulheres na maioria das culturas ao longo das eras.


Mais próximo a nós temos os registros da tradição do povo hebreu onde era muito comum a mulher ser usada como propriedade do homem dando a ele o direito de dispensá-la quando melhor lhe aprouvesse: caso de Agar ou Hagar, que sendo uma escrava de origem egípcia que pertencia a Sara, esposa de Abraão, e tendo sido, por ela, Sara, oferecida a Abraão como meio de lhe suscitar descendência, costume herdado da leis da Mesopotâmia, (Código de Hamurabi, Artigos: 144, 145 e 146), já que ela Sara, devido à idade avançada não podia mais ter filhos. Mesmo tendo dado a Abraão o filho primogênito Ismael que viria, (de acordo com a tradição Abraâmica, Agar é reconhecida como mãe de Ismael, o patriarca dos ismaelitas, que são conhecidos como os antepassados das nações árabes), a se tornar o mentor do povo árabe e mais tarde o preposto de Jesus para a Pátria Brasil, Agar, ou Hagar, é dispensada, e juntamente com o filho tocada para o Deserto de Berseba, o que seria morte certa se não lhe aparecesse o socorro espiritual na forma de um anjo que lhe aponta onde encontrar água, e anuncia, como está em Gênesis: 21:15 a 19: E consumida a água do odre, lançou o menino debaixo de uma das árvores.

E foi assentar-se em frente, afastando-se à distância de um tiro de arco; porque dizia: Que eu não veja morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou.

E ouviu Deus a voz do menino, e bradou o anjo de Deus a Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? Não temas, porque Deus ouviu a voz do menino desde o lugar onde está.

Ergue-te, levanta o menino e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma grande nação.

E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água; e foi encher o odre de água, e deu de beber ao menino. E tudo isso obedecendo ao que Deus determinou: “Disse Deus a Abraão: Não te seja isso duro por causa do moço e por causa da tua escrava: em tudo o que Sara te diz, ouve a sua voz: pois em Isaque será chamada a tua descendência.


Também do filho da escrava farei uma nação, porquanto ele é da tua semente”. Gênesis 21: 12 e 13 – Há que se ver com olhos de ver e acatar o que Paulo nos ensina em 2 Coríntios 3:6: “O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica.” – O Deus que Jesus nos ensinou a chamar de Pai, não agiria assim. Temos que reconhecer que essa determinação é do espirito guia do povo hebreu considerando o estágio evolutivo do momento, e não de um Ser superior justo e bom e certamente equânime.


E Jesus, em inúmeras passagem reergue a mulher dessa situação de opróbrio, de desonra e humilhação: quando aborda a samaritana e lhe pede água; quando aceita que Maria de Magdala lhe ungisse os pés com óleo; e tantas outras.


Mais tarde vamos ver o filho de Agar ser incumbido de coordenar a administração da Pátria Brasil, quando, como está registrado no livro: Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, quando Jesus diz a Ismael: — Ismael, manda o meu coração que doravante sejas o zelador dos patrimônios imortais que constituem a Terra do Cruzeiro.


Ismael recebe o lábaro bendito das mãos compassivas do Senhor, banhado em lágrimas de reconhecimento, e, como se entrara em ação o impulso secreto da sua vontade, eis que a nívea bandeira tem agora uma insígnia. Na sua branca substância, uma tinta celeste inscrevera o lema imortal: "Deus, Cristo e Caridade".


Agar, a mulher descartada se torna então, não só a mãe da nação árabe, pois seu filho Ismael é o pai de doze tribos (coincidentemente Israel, o descendente de Sara, a esposa de Abraão, terá também doze tribos), que irá dar início aos ismaelitas, mas também se torna para os brasileiros uma espécie de avó, já que é a mãe do nosso mentor nacional: O Anjo Ismael.


Sobre a escolha de em qual sexo o espírito deverá reencarnar, temos em Leon Denis, o esclarecimento de que a alternância de sexo é necessária pois facilita a aquisição de algumas qualidades tais como: “no homem, à vontade, a firmeza, a coragem; na mulher, a ternura, a paciência, a pureza.” – então, podemos concluir que o espírito que se habitua em muitas vidas o sexo masculino, corre o risco de se tornar firme, corajoso, com a asa da razão bem desenvolvida, mas sem a sensibilidade que lhe proporcionaria a experiência no sexo feminino; por sua vez aquele que se habitua por vidas seguidas a reencarnar no sexo feminino, certamente desenvolveria os predicados da ternura, da paciência e da pureza, desenvolveria a asa do amor de forma bastante acentuada, mas estaria em prejuízo em relação aos predicados que caracterizam o desenvolvimento da asa da razão. Deus sendo infinitamente justo e bom não distribuiria oportunidade de forma a que uns ficassem em prejuízo.


Leon Denis afirma ainda em seu livro: O Problema do Ser, do Destino e da Dor: que: “de acordo com as instruções de nossos mentores espirituais... é fácil reconhecer, à primeira vista, em volta de nós, as pessoas que numa existência precedente adotaram sexo diferente;” pois trazemos impregnados em nosso subconsciente os hábitos do sexo que usamos anteriormente. E falando sobre nascer mulher, mostra as consequências e as vantagens de se reencarnar como mulher:


Talvez venham a objetar-nos que seria iníquo constranger a metade dos espíritos a evoluir num sexo mais fraco e muito frequentemente oprimido, humilhado, sacrificado por uma organização social ainda bárbara. Podemos responder que esse estado de coisas tende a desaparecer a cada dia, dando lugar a uma mais ampla equidade. É pela elevação moral e social e a educação forte da mulher que a própria Humanidade se elevará. Quanto às dores do passado, nós o sabemos, elas não estão perdidas. O espírito que sofreu as iniquidades sociais recolhe, em nome da lei de equilíbrio e compensação, o resultado das provas vivenciadas. O espírito feminino, dizem-nos os Guias, eleva-se à perfeição, com uma impulsão mais rápida.


É imenso o papel da mulher, na vida dos povos. Irmã, esposa ou mãe, ela é a grande consoladora e a doce conselheira.


Através da criança, garante o porvir e prepara o homem futuro.


Assim, as sociedades que a rebaixam, rebaixam-se a si mesmas. É a mulher respeitada, honrada, esclarecida, que faz a família forte, a sociedade grande, moralizada, unida!


Infelizmente, em se tratando da modernidade, uma época iniciada com a tomada de Constantinopla pelo Império Otomano em 1453, que vai aos poucos mudando as formas da sociedade agir, podemos verificar que nem tudo caminhou para o aprimoramento que Leon Denis previa. Ao afirmar que o estado de barbárie tenderia a desaparecer com as conquistas de uma sociedade onde a equidade seria fato, não se deu assim.


A mulher por tanto tempo vilipendiada, ao chegar à idade contemporânea, tem se distraído em buscar, não ombrear com o homem seus direitos, mas a superá-lo; e isso tem feito uma sociedade que reflete em muitos casos (no Brasil), a retaliação dos milênios de abusos. Basta ver os dados sobre os assassinatos e agressões de homens por suas companheiras, que é em proporção muito maior do que os assassinatos e agressões de mulheres por seus companheiros: em 2016 essa proporção era de 13 homens para uma mulher conforme o Atlas da Violência - dados apresentado na Assembleia Legislativa de Santa Catarina pela Deputada Ana Campagnolo - é de se lamentar então que a espiritualidade ainda não foi conquistada pelo simples fato de se reencarnar mulher.


Vemos também que os abusos sejam num ou no outro sexo, não ficam impunes. É da lei que: “A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória”, como está em Galatas: 6;7; “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” – Então vemos no livro: Cristo Espera por Ti, a situação de Charlotte que é compulsoriamente encaminhada ao renascimento em corpo masculino contra a sua índole e vontade... Após uma sequência de reencarnações como mulher e ir fragorosamente de queda em queda pelo abuso da condição feminina, traçar o próprio destino pela lei do carma.


Mesmo na modernidade, ainda estamos longe de alcançar a espiritualidade, condição de quem se volta para as finalidades da vida, para a busca do sentido do existir independente de religião, de denominações religiosas. Conquistamos muitos espaços na vida moderna; conquistamos muitos direitos...infelizmente não conquistamos a nós mesmas ainda; mas lembrando que o tempo de Deus é sempre, busquemos alento na fé e na disposição de nos aprimorarmos a cada dia.


REFERÊNCIAS



KARDEC, Allan; O Livro dos Espíritos: 66ª Ed. Brasília DF - FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA DEPARTAMENTO EDITORIAL – Av. L - 2 Q.603 – Conjunto F – CEP 70830-030 - 1987 – Brasil. 494 Pg.


BÍBLIA, N. T. Mateus, 15;14; In BÍBLIA. Sagrada Bíblia Católica: 20ª IMPRESSÃO. Tradução: João Ferreira de Almeida. Rio de Janeiro RJ: Imprensa Bíblica Brasileira, 1969.


XAVIER, Francisco Candido; Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho: 28 Ed. Brasília DF - FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA DEPARTAMENTO EDITORIAL – Av. L - 2 Q.603 – Conjunto F – CEP 70830-030 - 1995 – Brasil. 268 Pg.


VIEIRA, Waldo; Cristo Espera por Ti: 3 Ed. Araras SP - Instituto de Difusão Espírita – Rua Emílio Ferreira, 123 - 1983 – Brasil. 320 Pg.


DENIS, Leon; O Problema do Ser, do Destino e da Dor: 32 Ed. Brasília DF - FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA DEPARTAMENTO EDITORIAL – Av. L - 2 Q.603 – Conjunto F – CEP 70830-030 - 2013 – Brasil. 305 Pg.


Wikipédia, a enciclopédia livre. Agar - Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Agar acesso em 22 de junho as 17:18h


Wikipédia, a enciclopédia livre. Ismaelitas Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ismaelitas aceso em 22 de junho as 18:20h


Wikipédia, a enciclopédia livre. Ismael Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ismael acesso em 22 de junho as 19:13h


Direitos Humanos dhnet - Código de Hamurábi - disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/anthist/hamurabi.htm acesso em 22 de junho às 19:46h


Violência contra homens – disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=BjpPrk3u2AM acesso em 23 de junho as 8:02h


Feminicídio


https://www.youtube.com/watch?v=jF770rc-_pQ acesso em 23 de junho as 8:10h




Postagens Recentes
Postagens Populares
Siga-nos
  • Logo para Site
  • Facebook Long Shadow
  • Twitter Long Shadow
  • Instagram Social Icon
Procure por  palavras chaves

Contatos:

22  2724-0945

blog@letraespirita.com.br

© 2018 por Equipe Letra Espíírita