Tópicos

Formação dos Seres Vivos


Cecília Alves


Tivemos, no decorrer dos tempos, grandes revoluções científicas e tecnológicas em todas as áreas do conhecimento, que resultaram em evidente progresso; mas o fato é que ainda hoje, cientistas, filósofos, pensadores religiosos de todos os credos se curvam ante um dos mais intrigantes enigmas: como, quando e porque surgiu o que se chama VIDA, ou seja: como foi possível que a matéria inorgânica, passiva, indeterminada, composta de simples moléculas formadas a partir de um conjunto de átomos pudesse desenvolver a desconcertante habilidade de se auto-reproduzir e dar origem a organismos unicelulares? É preciso convir que a evolução dessas moléculas foi de tal ordem, de tal complexidade e magnitude, que elas se tornaram responsáveis pela imensa diversidade da vida na Terra. (Microsoft Word - origemvida.doc (ieef.org.br)


Ana Maria R. Catalano nos ensina que existe uma força de natureza espiritual que prepara o caminho para o surgimento da vida. É o princípio inteligente, causa geradora de tudo o que existe, vivente ou não vivente, a expressar a presença de Deus na matéria.


Em O Livro dos espíritos, na questão 07 e em diante, Allan Kardec pergunta aos espíritos qual seria a causa primeira das coisas, ao que lhe foi respondido que a causa primeira é uma inteligência superior à humanidade no que antecedeu a formação dos seres vivos. “Tudo era um caos”, visto que os elementos que os formariam futuramente estavam dispersos.


Os seres vivos não se originaram do dia para noite, mas sim de forma gradativa, como nos ensina o livro dos espíritos na sua questão 44. Essa formação ocorreu a partir da reunião de condições favoráveis no planeta Terra para que as substâncias orgânicas fossem moldadas.


Deste modo os “germes” das substâncias orgânicas que se encontravam dispersos aos poucos foram se aglutinando, ou seja, se reunindo.


Após esta fase de modificações estas substâncias ficaram inertes até que fosse o momento oportuno para o surgimento da vida propriamente dita em cada uma das espécies existentes.


Com o surgimento dos primeiros seres vivos, estes foram aproximando-se uns dos outros e se multiplicando, levando assim a continuidade de suas espécies,


Ao ler o que até então expusemos provavelmente você se pergunte se os seres humanos também se encontravam entre estes seres. Observemos o que nos diz a este respeito O Livro dos Espíritos em suas questões 47 e seguintes.


Questão 47. A espécie humana se encontrava entre os elementos orgânicos contidos no globo terrestre?


Sim, e veio a seu tempo. Foi o que deu lugar a que se dissesse que o homem se formou do limo da terra.


Questão 48. Poderemos conhecer a época do aparecimento do homem e dos outros seres vivos na Terra?


Não; todos os vossos cálculos são quiméricos.


Do até então exposto podemos concluir que o homem foi formado dos mesmos elementos dos demais seres, não se podendo precisar quando do seu surgimento no planeta, visto que o que temos até então são cogitações, suposições.


Os espíritos superiores seguem nos ensinando na questão 48 em O Livro dos Espíritos que tanto os homens quanto os demais seres da criação Divina absorveram ou se apropriaram de elementos necessários para que pudessem lhes dar continuidade à vida através da Lei da reprodução.


Ao que concerne propriamente à formação do homem, A Gênese Kardequiana nos ensina que, existindo um primeiro casal, os indivíduos se multiplicaram. Mas, esse primeiro casal, donde saiu? É um desses mistérios que entendem com o princípio das coisas e sobre os quais apenas se podem formular hipóteses. A Ciência ainda não pode resolver o problema; pode entretanto, pelo menos, encaminhá-lo para a solução.


A este respeito são apresentadas na supracitada obra duas hipóteses: numa delas apenas um casal teria originado os demais seres humanos e na segunda teoria Deus teria criado vários casais e estes teriam se multiplicado e dado origem aos homens e mulheres.


Em A Gênese defende-se que a segunda hipótese seria mais provável visto que um só tronco familiar originar toda a raça humana poderia comprometê-la por poder transferir os seus vícios aos seus demais descentes.


A criação, no entanto, de vários casais levaria a criação de vários troncos familiares, cada um deles possuindo defeitos, qualidades e características próprias, o que conferiria maior diversidade dos seres, não apenas no quesito moral, mas também em questões biológicas.


Em última análise podemos observar que a criação do homem e dos demais seres vivos seguiu um longo caminho, bem como que a perpetuação de cada um dos seres vivos no planeta segue a Leis Divina do progresso, a qual demonstra que todos estamos destinados ao progresso evolutivo.



REFERÊNCIAS


Catalano, Maria R. Microsoft Word - origemvida.doc (ieef.org.br)

Kardec, Allan: A Gênese, 53º ed.– 8. imp. – Brasília: FEB, 2019

Kardec, Allan: O Livro dos Espíritos, 24º reimp. Fev 2019 – Capivari, SP, Editora EME

142 visualizações
Postagens Recentes