Tópicos

A Masturbação Atrai Espíritos Obsessores?



Clara Costeau e Fernanda Machado

Publicação original: 14 de maio de 2019 Última atualização: 11 de maio de 2022


Em se tratando de sexualidade, é sabido que existe uma produção natural de hormônios que incitam ao sexo. Sendo assim, até que ponto podemos considerar a masturbação como um ato maléfico ou benéfico ao ser humano?


Esse ato não é inconveniente, muito menos errado. É natural, dado que ainda estamos na matéria, no corpo carnal. Tanto o ato sexual quanto a masturbação, quando praticados com amor e respeito, fazem bem ao organismo, pois criam uma energia saudável, em virtude do equilíbrio de suas práticas que buscam atender as necessidades humanas.


A obra Sexualidade Sob Um Olhar Espírita, de Louis Neilmoris, nos traz uma visão válida: “Podemos imaginar a masturbação como uma via emergencial que a própria Natureza constituiu para que as complicações não fossem maiores. Sem esse recurso, fatalmente a violência sexual certamente seria mais corriqueira. O estado vibracional de desequilíbrio não é o de os hormônios subirem à cabeça, mas o contrário, o pensamento se rebaixar à matéria, uma vez que esse desequilíbrio é criação mental, sendo possível que o mesmo poder (do pensamento) seja capaz de suplantar as cargas negativas, potencializando-as em energias positivas. Conclusão: ninguém poderá querer justificar seus atos sexuais desequilibrados alegando impulsos fisiológicos”.


A prática saudável e equilibrada é diferente do vício desequilibrado. Precisamos que ter em mente de que o desejo é do Espírito, por mais que estejamos ligados a um corpo físico. Quando desencarnamos, o nosso Espírito leva consigo aquilo que de que se alimentou quando encarnado, sejam qualidades, gostos, desejos. Por isso, é essencial ressaltar que o vício em sexo não se perde só porque o Espírito se separou do corpo físico. É aí que se explica o questionamento: masturbação atrai espíritos obsessores?.


=====

Conheça o Clube do Livro Letra Espírita em www.letraespirita.com.br e associe-se para receber em sua casa o melhor da literatura espírita.

=====


O ato em si não. Tudo é uma questão de afinidade, principalmente por meio do pensamento. Se o indivíduo encarnado só pensa em sexo/masturbação de forma constante e desequilibrada, irá atrair os Espíritos desencarnados que estão nesta mesma frequência vibratória. Caso o encarnado não se vigie e não procure manter-se em equilíbrio, a porta para o vício se abrirá, o que lhe será prejudicial, uma vez que os vampiros energéticos irão se aproximar desta pessoa, em virtude da sintonia em que vibra para lhe influenciar, se "alimentando" dessa energia.


Concluímos que o mais indicado é procurar trabalhar no autoprazer de forma equilibrada e consciente e buscar também trocar energias com quem você ama verdadeiramente, com amor e respeito, uma vez que o ato da masturbação também pode vir a ser praticado junto a parceiros sexuais.


Caso esse desejo estiver atrapalhando as atividades do cotidiano, tirando a concentração, o mais aconselhado é procurar auxílio de profissionais da área, para ter um maior esclarecimento e não se deixar levar pelo sentimento de culpa. Além disso, não devemos esquecer o que Jesus recomendou a respeito de vigiar e orar.


=====

Referências:


NEILMORIS, L. Sexualidade sob um olhar espírita. Portal Luz Espírita: distribuição gratuita em formato digital. 2011.


48.876 visualizações
Postagens Recentes
Postagens Populares
Siga-nos
  • Logo para Site
  • Facebook Long Shadow
  • Twitter Long Shadow
  • Instagram Social Icon
Procure por  palavras chaves