Tópicos

O Papel dos Espíritos Missionários na Transição Planetária

Atualizado: 1 de jun.


Fernanda Oliveira

Reprodução de artigo originalmente publicado na Revista Letra Espírita, ed. 33: 26 de maio de 2022


Todos os Espíritos foram criados por Deus de forma simples e ignorante; somos seres imperfeitos com a capacidade de aprender, errar, pensar, reaprender e evoluir. Somos Espíritos longe da perfeição, com capacidade tanto para o mal como para o bem. A vida em sociedade é aprendizado constante para o progresso. Temos que ter a consciência que somos espíritos eternos e devemos ter um propósito na vida.


O objetivo maior da reencarnação é a capacidade que o ser possui de aprender, discernir e de fazer escolhas válidas para o seu próprio progresso.


O planeta Terra é visitado por inúmeros Espíritos que reencarnados assumem a responsabilidade de ser exemplo e acelerar o progresso mediante invenções, descobertas, inspirações. Podemos entender esses Espíritos como Espíritos missionários.


Segundo o dicionário missionário é aquele que recebeu ou assumiu a incumbência de realizar determinada tarefa ou promover a sua concretização.


Os Espíritos missionários já são designados antecipadamente antes de reencarnarem, trazendo com a sua missão amor, caridade e paz. Nem sempre esses Espíritos possuem a consciência de sua missão. As missões dos Espíritos nobres e altruístas tem sempre por finalidade a promoção do bem, a melhoria do nosso padrão moral, a fraternidade, empatia e o perdão.


Conforme esclarecimento de O Livro dos Espíritos as missões correspondem as capacidades e a elevação do espírito. Como exemplo de alguns espíritos missionários temos Moises, Francisco de Assis, Joana d’Arc, Buda, Gandhi, Alveiro Vargas, Chico Xavier; como Kardec que além do seu trabalho como pedagogo, escritor de diversos livros, também pesquisou, estudou e codificou a Doutrina Espírita com a ajuda dos Espíritos encarnados e desencarnados. Seres humanos diferentes entre si, em diferentes locais, com diferentes graus de conhecimento, mas todos com muita relevância no auxílio de outras pessoas. Jesus ensinou que a maior representação de Deus na Terra é o próximo.


Nenhum sinal excêntrico surgirá na terra ou no céu; não serão vistos descendo do céu; não usarão capas ou alegorias, serão pessoas comuns; em O Evangelho Segundo o Espiritismo aprendemos que: “os verdadeiros missionários de Deus ignoram-se a si mesmos, em sua maior parte; desempenham a missão a que foram chamados pela força do gênio que possuem, secundado pelo poder oculto que os inspira e dirige a seu mau grado, mas sem desígnio premeditado”, acrescentando que são humildes e modestos. Reconhecem-se, então, os Espíritos missionários, pelas suas obras, pelo progresso que realizam, pelo trabalho na seara do bem; no poder de influenciar moralmente e elevar espiritualmente.


Toda mudança de ciclo evolutivo da terra acarreta profundas alterações materiais e espirituais que depende do melhoramento de todos. Durante a transição planetária as criaturas que perceberem a necessidade de mudar irão acompanhar e auxiliar a transformação planetária.


O mundo tem evoluído bastante principalmente no aspecto material: novas tecnologias, globalização, evolução da medicina, transformações cientificas, inovações na engenharia e arquitetura; mas é urgente que as mudanças morais acompanhem todo o progresso material.


Em A Gênese, Kardec esclarece sobre a necessidade da evolução moral para que o planeta realmente passe para um próximo estágio de transição planetária a regeneração. Precisamos colaborar com a evolução moral do planeta já que cada um de nós também temos uma missão pessoal, precisamos desenvolver nossa inteligência emocional, fortalecer nosso espírito com estudos e atividades no bem, bom senso, capacidade de respeitar as diferenças e compreender que cada ser tem seu roteiro divino próprio. Estamos aqui para aprender com as novas situações dessa encarnação.


O estudo da Doutrina Espírita e a reforma intima (autoconhecimento) continuam sendo o caminho mais seguro para se manter o equilíbrio e evoluir. Não podemos seguir valores herdados de organizações sociais e religiões, confundindo o espiritismo com crendices e dogmas que não fazem parte da Doutrina Espírita. O Espiritismo ciência de observação e doutrina filosófica atual e universal não tem nacionalidade, não faz culto particular, não é imposto, não tem hierarquia, não tem símbolos ou logotipos, não tem autoridade máxima, não castiga, não pune, segrega, não resolve os problemas por nós. Busca aproximar o ser humano de Deus onde o que importa é aprender e evoluir buscando a melhoria dos padrões morais.


E de tempos em tempos Espíritos missionários com missões coletivas estão presentes na terra para contribuir no nosso aprendizado e melhoria intelectual, moral e espiritual. A existência terrena é uma responsabilidade do ser para aprender agir no bem através do cuidado, da renovação, da empatia, da solidariedade, da transformação do caráter.


Esses Espíritos missionários seguindo a lei do progresso serão pessoas comuns com o propósito de acelerar o desenvolvimento moral, espiritual, social e intelectual.


Vamos caminhando repensando nossa maneira de viver, lembrando que a regeneração começa dentro de nós. Orando, agindo e vigiando sempre em sintonia com energias positivas e elevadas.


"A transição planetária se inicia quando cada um procura fazer a transição individual moral."

(Murilo Viana)


==========

REFERÊNCIAS:

KARDEC, Allan - O Evangelho Segundo o Espiritismo - Editora Boa Nova

KARDEC, Allan - O Livro dos Espíritos - Editora EME

Allan KARDEC - A Gênese - Editora IDE

XAVIER, Francisco Cândido / Emmanuel - Missionários da Luz - Editora FEB

CALDINI, Alexandre Neto - A Vida na Visão do Espiritismo - Editora Sextante

Postagens Recentes
Postagens Populares