Tópicos

Prefira Viver

Atualizado: 18 de out.


Fernanda Machado


Prezados irmãos, vivemos tempos de incertezas e angústia. Não apenas pela pandemia, mas também porque são chegados os tempos de mudança moral para nós. Muitas vezes, quando passamos por crises, ficamos desanimados e com bastante dificuldade de lidar com os problemas. É preciso estar atento para não perdermos a vontade de viver, pois o Evangelho de Jesus nos ensina a valorizar a existência terrena e a evoluir com ela. Todos os indivíduos que atentam contra a vida, atentam também contra as Leis Divinas de amor. A Doutrina Espírita é, portanto, a favor da vida e refuta qualquer ideia de morte voluntária do corpo físico.

A Associação Brasileira de Psiquiatria criou, em 2014, uma cartilha para combater o suicídio. Neste documento, são citados os três Ds que envolvem esta temática: desamparo, desespero e desesperança. Explicando melhor:

As reações três Ds envolvem o comportamento de aflição, descontrole, angústia, irritação, furor (desespero); um sentimento de abandono acompanhado de uma sensação de vulnerabilidade, solidão, tristeza e medo (desamparo) e o sentimento e o pensamento de uma situação sem saída (desesperança)” (ALMONDES; TEODORO, 2020, p. 2).

A maioria de nós já experimentou esses sentimentos. No entanto, devemos ter em mente que acabar com a vida na Terra não extingue a vida completamente, ou seja, não é uma fuga das adversidades, uma vez que continuaremos existindo eternamente em Espírito. Assim, suicidar-se significará apenas acrescentar novos sofrimentos aos que já se possuía, pois somos responsáveis por todas as nossas atitudes.

A questão de querer fugir dos embaraços da vida explica o motivo pelo qual, muitas vezes aquele que tentou o suicídio, ao ser socorrido em um hospital, pede ajuda para sobreviver. Na verdade, nós queremos sempre eliminar as vicissitudes e não morrer. O que acontece nesses casos, é a pessoa entender que somente com a morte ela não mais sofrerá suas dores. Esse é um pensamento inflexível e rígido, através do qual não se enxerga solução e saída. E em um momento de sofrimento, por um impulso, o indivíduo tenta se matar.

O Espiritismo nos ensina que os tormentos fazem parte da vida e nos ajuda a passar por eles. Já dizia Jesus: A dor é uma benção que Deus envia a seus eleitos. Com este ensinamento, o Cristo nos lembra da lei de ação e reação, que traz as consequências para nossos atos, sejam bons ou ruins. Quando interiorizamos esse preceito, passamos a compreender e aceitar os contratempos, sendo inclusive gratos por eles. A partir deles é que conseguiremos evoluir e, um dia, chegar à perfeição e à felicidade plena.

A única forma de atingirmos tal nível evolutivo é reencarnando e, por isso mesmo, não faz sentido extinguirmos nossa vida corpórea. Devemos aproveitar ao máximo essa oportunidade de aqui estarmos! Muito provavelmente nós pedimos para nascer, e mais: Pedimos pelas provações tão difíceis a respeito das quais hoje só sabemos reclamar. Em Espírito, desejosos em reparar nossas faltas e seguir adiante, assumimos compromissos para a nova vida na Terra, a fim de conseguirmos quitar nossos débitos o quanto antes. Nosso planeta é, portanto, um grande hospital, o remédio para nosso mal.

O amor é o caminho para erradicar o sofrimento e o desejo de morte. Ele é a poção para a felicidade de viver! Deus, como nosso Pai celestial, nos ama e quer o melhor para nós. Ele jamais nos abandona e deixa também Espíritos amigos por perto para que nos amparem nos maus momentos. Basta uma oração, um pensamento elevado, para que esses nossos irmãos da espiritualidade consigam nos inspirar um lampejo de ânimo, de alegria para seguir a caminhada. Lembremos que o pensamento é a maior força que nós temos. Através dele conseguimos atrair as companhias que quisermos. Então, vamos manter sempre nossa vibração elevada para que nosso mentor e demais amigos venham estar conosco. Ninguém nunca está só, tenham certeza disso.

A fé raciocinada nos revela a necessidade de transformação moral. Não deixemos que os três Ds dominem nosso sentimento. Vamos, dia a dia, hora a hora, minuto a minuto, combater tudo de negativo que há em nós. Pratiquemos a lei de justiça, amor e caridade. Sigamos os passos de Jesus. Busquemos os enfermos, os sem-teto, os abandonados, os solitários para ofertar um pouco de amor e sem esperar recompensa. Sejamos indulgentes e benevolentes para com os outros. Cultivemos o amor. E, assim, o amor nos contagiará, fazendo com que nossos problemas fiquem pequenos e quase imperceptíveis. “Só quem ama tem o poder de apagar dores e semear felicidade”. (PINHEIRO, 2018, p. 166).

Prefira viver, querido amigo! Você tem todas as ferramentas para vencer, dentro de si! Jamais duvide disso e jamais se esqueça que estamos todos juntos, criatura ajudando criatura, para chegar ao Criador. Que a paz esteja contigo hoje e sempre!

==============

REFERÊNCIAS

ALMONDES, K. M.; TEODORO, M. Os três Ds: desespero, desamparo e desesperança em profissionais da saúde. Disponível em: https://www.sbponline.org.br/arquivos/To%CC%81pico_3_Como_oferecer_primeiros_aux%C3%ADlios_psicol%C3%B3gicos_para_profissionais_de_sa%C3%BAde_trabalhando_na_crise_da_pandemia_Covid-19_Veja_o_T%C3%B3pico_3_das_Orientacoes_t%C3%A9cnicas_para_o_trabalho_de_psic%C3%B3logasos_no_contexto_da_COVID-.pdf>. Acesso em: 09 de setembro de 2020.

FUKUMITSU, K. O. Comportamentos Suicidas, Adolescência e Velhice. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IsfomJhedH0&list=PLKmcQCW0xjAm6WLN3A7iQvFkJzHAM_Ldv. Acesso em: 17 de janeiro de 2020.

PINHEIRO, L. G. Suicídio: a falência da razão. Editora EME. 1ª edição. Capivari, 2018.

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Suicídio: informando para prevenir. Associação Brasileira de Psiquiatria. Disponível em: http://www.flip3d.com.br/web/pub/cfm/index9/?numero=14. Acesso em: 11 de setembro de 2020.

Postagens Recentes
Postagens Populares